Tuesday, December 23, 2014

Um Natal Diferente


Para os habitantes da terra do Natal, naquele ano, o Natal seria diferente. Muitas crianças acreditavam em Papai Noel e aguardavam a sua chegada, na esperança de ganharem o presente com o qual tanto sonhavam. Mas o bom velhinho estava tão cansado com todos os preparativos para o Natal, que resolveu tirar uma soneca.

Continue lendo...

Texto:
Sisi Marques, Edislei Moura e Lucia Haddad 

Imagem
Net

Wednesday, November 12, 2014

Angelino, o anjinho

Angelino, o anjinho



Era véspera de Natal... Os anjinhos voavam alegremente, derramando bênçãos em todos os lares. Mas Angelino, que ainda era muito pequeno, começou a sentir-se sonolento e pensou que fosse desmaiar de cansaço.
Apesar disso, ele era orgulhoso e não quis dizer para os outros anjinhos que eles estavam certos quando o aconselharam a não acompanhá-los, porque ele não conseguiria completar a viagem.
Angelino começou a voar de modo desajeitado... Seus olhinhos fechavam e abriam...
Mas ele não pensou, nem por um segundo, em desistir...
Ele continuou voando e cochilando, voando e cochilando até que uma visão encantadora atraiu sua atenção.
Uma das casas, sobre as quais eles voavam, estava toda enfeitada à espera do Natal; e, no parapeito das janelas, havia botas de feltro, prontas para receber os presentes. Elas pareciam tão macias e quentinhas, e a noite estava tão fria!...
Angelino deteve-se no ar por alguns instantes, pensando na maravilha que seria
repousar aconchegado em uma delas.
Vencido pelo sono e pelo cansaço, após um breve momento de indecisão, ele voou em direção a uma delicada botinha cor-de-rosa e decidiu que seria ali mesmo que ele passaria a noite.
Sisi Marques
http://felizardorealidademagica.com.br/
Arte - Lucia Haddad

Atividades:


* Crie um texto com as palavras que você encontrou no quadro acima.

* Como seria o seu Angelino? Use materiais como: feltro, fitas, papel, linha, botões e construa o seu anjinho.

* O que você gostaria de dizer ao Angelino, quando ele acordasse? Escreva uma mensagem para ele.

Professor (a), você poderá criar diversas atividades com a história do anjinho.

A leitura enriquece o vocabulário e desenvolve a criatividade!
Motive os seus alunos!

Lucia & Sisi

Wednesday, October 29, 2014

Contos de Bruxa - Parte 2



Ei, menino, você ainda está aí?! Não percebe que não sei escrever e preferiria que você fechasse esse livro?!… Já sei; preste bastante atenção: se não fechá-lo agora mesmo, poderei transformá-lo num… num… Não, espere! Acabei de me lembrar de uma história que minha tataratataratataratatara… Bem, já faz tantos séculos que nem me lembro mais quem a contou. Também, quem se importa?!… Quanto mais velha e descolorida a história melhor. A história começa assim:
Era uma vez um país onde só existiam bruxos e bruxas. Lugarzinho bom esse! Mas, apesar de toda a maldade que pairava no ar, a vida era muito monótona, porque os habitantes só estudavam a teoria dos feitiços e não tinham a comprovação de sua eficácia. Naturalmente bruxo não enfeitiça bruxo; e, por esse motivo, as fórmulas apodreciam sem jamais sair do papel. Tudo parecia perdido até que, certo dia, um duende muito esperto apareceu com um mapa do espaço, e indicou um planeta no qual haveria gente de sobra para servir de cobaia. Sem perder um minuto sequer, os bruxos exploradores montaram em suas vassouras mágicas e percorreram a rota que unia o país dos bruxos ao mundo dos homens.
Chegando lá, os destemidos bruxos tiveram uma surpresa ao verificar que os homens conseguiam ser ainda mais perversos do que os próprios bruxos. Pensaram: bruxo não mata bruxo, homem mata homem; logo: homem é pior do que bruxo. Aterrorizados, retornaram ao país dos bruxos vo-an-do em suas vassouras mágicas. Após reunirem-se com os dirigentes do país dos bruxos, os exploradores convenceram-se de que seria melhor voltarem ao misterioso planeta e estudá-lo, em vez de tirarem conclusões precipitadas. Os dirigentes não se enganaram: bruxos e homens poderiam conviver num mesmo planeta.
Você duvida?… Bruxos são espertos e homens também. Se não os enfeitiçamos, eles nos enfeitiçam com toda a parafernália que querem obrigar-nos a consumir. Ouça bem: Um dia,  um homem bateu à porta de um bruxo, vendendo-lhe um seguro de vida. Dá para acreditar?!… O bruxo pagaria a vida inteira, e só tornaria a ver o dinheiro depois de morto! Em outras palavras: ele jamais tornaria a ver a cor do dinheiro, porque bruxos não morrem!
Você deve estar se perguntando se o bruxo aceitou comprar o seguro… Eu vou lhe contar: O bruxo, bastante interessado na oferta que não lhe traria vantagem nenhuma; como não possuía dinheiro algum, resolveu propor ao homem que trocasse a apólice de seguro por um vidrinho cujo rótulo dizia: ELIXIR DA JUVENTUDE. O homem vaidoso aceitou a troca. Acontece que o elixir também não funcionava, e ficou tudo elas por elas.
Menino, ainda não foi dormir?!… Então, vá contar carneirinhos, que prefiro voltar para o meu caldeirão! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!… Garotinho chato esse, hein?!… É melhor fazer poções!… Cadê meus corvinhos?!… Um, dois… Ué?!… Onde foi parar de novo aquele fujão?!… Corvinho, corvinho, onde você está?!
Ei, menino, pare de ficar bisbilhotando! Feche logo esse livro e vá dormir!
 Fim
Sisi Marques
Arte
Lucia Haddad

Monday, October 27, 2014

Contos de Bruxa - Parte 1


Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!… Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!… O que foi, garotinho?!… Ficou com medo?!… Pois vou lhe dizer uma coisa: se sentiu medo, feche já esse livro porque ele não é para você. Sou uma bruxa; e piores do que histórias que falam de bruxas, são histórias contadas por bruxas. Nós o-di-a-mos finais felizes! Tem certeza de que ainda quer continuar lendo?!… Ouça bem, garotinho: se decidi escrever, foi só para quebrar um pouco a rotina; pensa que não cansa ficar com o umbigo colado naquele caldeirão, fazendo poções mágicas o dia todo?! Não, que não funcionem!… Funcionam que é uma beleza!… A última que preparei transformou uma barata em uma princesa, que se casou com um príncipe vaidoso e arrogante. Imagine só: ele certo de que ela saiu de algum conto de fada perdido no tempo; e, na verdade, encontrei-a dentro de uma das gavetas do gabinete da pia!
Ah! Ah! Ah!… Contos de fada!… Jamais conheci tolice maior! Contos de bruxa seriam muito mais divertidos! Felizmente esse lenga-lenga de príncipe e princesa já está em processo de extinção. Agora o mundo está para nós: valores morrendo; a aquisição de bens roubando o lugar dos sonhos; presentes subornando criancinhas e substituindo carinho… Quem precisa de amor?… Assunto mais careta!… O mundo está pra nós!
Que chuvinha boa!… Com esses trovões, conseguirei a inspiração que preciso. Você tem medo de relâmpagos e trovões?!… Bobagem!… Aposto que você também tem medo do escuro!… Eu não. Já visitei até caverna de dragão em plena madrugada!… Vou lhe contar a história toda: Possuo três corvinhos da sorte; não faço uma única poção se os três não estiverem por perto. Certa vez, contei-os: um, dois… cadê o terceiro?! Os outros dois disseram que o infeliz, curioso como era, disse que havia de conhecer o misterioso dragão que se escondera na caverna depois da floresta, nem que para isso tivesse que virar churrasco.
Churrasquinho de corvo!?… Imagine só que petisco saboroso para um dragão faminto!… Eu não poderia permitir que algo tão terrível assim acontecesse!… Ora, não com o meu corvinho da sorte! Larguei tudo… Apaguei o fogo do caldeirão… Apanhei minha vassoura mágica e voei em disparada, alcançando a toca do dragão antes que o malvado tivesse devorado meu bichinho. Aquele serzinho repugnante já o havia amarrado no espeto e preparava-se para cozinhá-lo em seu bafo quente!… Odeio dragões! São os animaizinhos mais asquerosos e prepotentes que existem… Além de preguiçosos!…
Para poder livrar meu corvinho, tive que prometer que cozinharia durante um mês para aquele monstro de apetite insaciável! Mas foi aí que pude me vingar, porque toda vez que eu preparava a comida, eu adicionava uma pequena dose de uma poção redutora. Imagine a que tamanho o bichinho ficou reduzido… Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!… Ficou menor do que um camundongo. Bem feito!  Ele é que acabou servindo de refeição para o meu corvinho!
                                                                
  Sisi Marques
Arte
Lucia Haddad

Tuesday, September 23, 2014

A TAMPA DO CÉU

POESIA

A TAMPA DO CÉU

ADRIANA FALCÃO

Caixa tem tampa. Garrafa tem tampa. Lata também.
A cabeça é a tampa da pessoa.
O chapéu é a tampa da cabeça.
O teto é a tampa do chapéu.
A tampa do teto é o céu.
E o céu?
O céu não tem tampa.
A nuvem às vezes fica no meio do caminho tapando a visão da gente.
Mas em cima da nuvem ainda tem um bocado de céu destampado.
É tanto céu nesse mundo que mesmo que a gente juntasse todas as tampas, de todos os tipos, ainda ia sobrar muito céu para tampar.
Mas que ideia maluca!
Quem ia querer tampar o céu?
Lucas, ora.
Ele queria virar o mundo.
E se o céu não tivesse tampa é claro que tudo ia escorrer.
- As coisas não escorrem, menino. Existe a força de gravidade.
Pensa que ele escutou?
Botou na cabeça que ia arranjar um jeito de tampar o céu e saiu por aí.
Andou, andou, andou, andou.
Rua, bairro, cidade, estado, país, continente, hemisfério.
É sério.
Lucas virou o mundo inteiro para descobrir que não precisava de tampa para virar o mundo.
Só precisava de vontade.
E não existe nada no mundo que dê mais vontade na gente do que um céu azul em cima e um mundo enorme pela frente.

SOBRE A AUTORA
Adriana Falcão escreve roteiros TV. Atualmente é co-roteirista dos programas "A Grande Família", da Rede Globo. É autora dos livros infantis "Mania de Explicação" (ed. Salamandra, 2001) e "Luna Clara & Apolo Onze" (ed. Salamandra, 2002) e do romance para adultos "A Máquina" (ed. Objetiva, 1999).

Atividades

Crie com os alunos um livro com tampas de pote de sorvete.
Super criativo!
ela mostra como construiu o livro.
 
Tantas atividades podem ser realizadas com esse livro!
Vamos criar com os alunos!
Ler  faz a gente abrir a tampa da imaginação!

Thursday, September 18, 2014

Mafalda faz 50 anos!


A Argentina celebra a sua mais famosa personagem de banda desenhada que, ao questionar durante décadas o estado atual do Mundo, ganhou popularidade tanto na América Latina como na Europa.
Em Buenos Aires, foi inaugurada uma exposição na presença do historiador gráfico e “pai” de Mafalda, Joaquín Salvador Lavado – mais conhecido com “Quino”.
O autor explica que “os problemas [do mundo] foram algo que sempre teve impacto em mim. As crianças hoje em dia estão tão informadas sobre tudo o que acontece no mundo. Quando era criança, não tinha ideia de quem eram pessoas como, por exemplo, o Papa. Hoje em dia, as crianças sabem tudo”.
Quino foi laureado, este ano em Espanha, com o prémio Príncipe das Astúrias da Comunicação e Humanidades.
Feroz defensora dos Direitos Humanos, Mafalda foi, em 1976, o “rosto” da Declaração Universal dos Direitos da Criança da UNICEF.
 Fonte: aqui!


Vamos ler as tirinhas da Mafalda?
Uma maneira inteligente de discutir assuntos atuais com seus alunos!




Monday, August 18, 2014

Rock da Bruxa da Vassoura Elétrica - Rafael Vieira Júnior

 
"Brincar faz bem à saúde e à educação das crianças."
Rafael Vieira Júnior
 


Atividades:

 Considerando  o vídeo acima...

Faça uma análise sobre o comportamento das bruxas: Como é o comportamento delas? 
Quais as suas qualidades e os seus defeitos? 

Proponha que, em dupla, os alunos escrevam informações importantes sobre as bruxas,
 
O que tem de diferente na bruxa do vídeo?
Compare-a com as bruxas dos contos de fada.

Incentive, seus alunos, a criarem  uma Galeria de Bruxas:
Bruxas Modernas & Bruxas dos Contos

Divirta-se com seus alunos!
Eles adoram contos de bruxas!

Monday, August 11, 2014

O Dentinho Contente - Rafael Vieira Júnior


- Depois, comento sobre o assunto.



Amei a história do Rafael, o que vocês acharam, queridos leitores?

Agora, vamos ler algumas curiosidades sobre os nossos dentes. Se é que coruja tem dente, rsrsrsrs. Bom, sobre isso conversaremos em outro momento, ok?

Nossa primeira dentição é formada a partir dos seis meses de idade, com os dentes de leite. Esses vão nascendo aos poucos, até a criança ter 20 desses dentes provisórios.
Os pais devem cuidar da boca do bebê, fazendo sua higienização, mesmo sem dentes. Após o nascimento dessas estruturas, devem incentivar o filho a escová-las.
A partir dos quatro anos, os dentes de leite vão sendo trocados por dentes definitivos. A dentição adulta tem até 32 dentes.


Os dentes rasgam, trituram e misturam os alimentos com a saliva, para que eles sejam aproveitados pelo nosso organismo, para saciar a fome e fornecer nutrientes.
Devemos escovar os dentes ao acordar, após as refeições e antes de dormir, fazendo também o uso de fio dental. Com isso evitamos as cáries, as inflamações da gengiva e o mau hálito (bafo com mau cheiro).
Visitar um dentista também é importante, pois ele é o profissional que faz os tratamentos necessários, como limpeza profunda, aplicação de flúor, tratamento das cáries; e ensina como fazer a escovação correta.


Comer doce e beber refrigerante não é bom para os dentes, pois o açúcar desses alimentos fica armazenado na boca, atraindo as bactérias. Essas bactérias, ao se alimentarem dos resíduos que estão nos dentes, liberam substâncias capazes de corroer os dentes, ou seja: formar buracos neles. Tais buracos são chamados de cáries.

Ter cárie é muito ruim, pois o dente cariado dói, nos incomoda muito e pode ser completamente destruído. Por isso, nunca se esqueça dos cuidados que deve ter com os dentes!


Curiosidade:

A primeira escova de dentes que temos notícias foi feita pelos egípcios, há mais de 5000 anos. Ela era um ramo de planta desfiado, e suas fibras eram esfregadas contra os dentes. A escova de dentes com cerdas de náilon, tal como conhecemos, foi criada nos Estados Unidos, em 1938.

Fonte: Escola Kids

Friday, July 11, 2014

Novidades chegando... E Feliz Dia do Amigo!!!


Oi, queridos leitores!!
Tudo bem?
Eu sei que fiquei ausente por muito tempo, não é verdade? 
Mas, eu voltarei com novidades!
Espero por vocês!!!!
Estou com saudades de todos!!
Bjs com sabor de "Mel"

Saturday, April 19, 2014

Desejo a todos uma...


Mel - Personagem criada por Lucia Haddad

Monday, April 7, 2014

A felicidade do reino está em suas mãos


O que você pensa que eu, Caetano Augusto Petrarca dos Anjos, vim fazer aqui?!... Se você imaginou que eu tivesse vindo buscar uma solução para o problema dos homenzinhos, enganou-se terrivelmente, porque esse conflito já foi resolvido de modo inteligente e pacífico. Eu ouvi dizer que, certo dia, um dos homenzinhos chamou o gigante e disse: “Se você deseja continuar ouvindo as histórias, terá que nos auxiliar na realização das tarefas. Desse modo, sobrará tempo para todos nós nos divertirmos”. O gigante, que adorava as histórias que os homenzinhos contavam, concordou em ajudá-los. O reino dos homenzinhos prosperou, e todos viveram felizes para sempre.
Você deve estar se perguntando: “Se o Caetano não veio para me falar sobre a história do gigante, por que ele ainda está aqui?!...” Espere só um minuto que eu já satisfarei a sua curiosidade... Existe um problema sim, mas é em outro reino... Um reino que está sendo ameaçado por um dragão que cospe enormes labaredas!... E o rei me enviou para ordenar que você quebre o feitiço. Você parece surpreso com o que eu disse, mas é a mais pura verdade: o rei descobriu que o dragão é um príncipe encantado. O feitiço só poderá ser desfeito se uma criança de coração puro ler, em voz alta, três histórias que tenham um final feliz.
Eu imagino o que você deve estar pensando: “O Caetano só pode estar mentindo, porque é impossível que, naquele reino, não existam crianças!... Todas elas têm o coração puro.”
Concordo plenamente: qualquer criança daquele reino poderia quebrar o encanto. Mas existe um pequeno detalhe: elas não sabem ler. É por esse motivo que o rei precisa de sua ajuda.
Quando você terminar de ler as histórias, o dragão voltará a ser um príncipe. Ele se apaixonará pela filha do rei, e todos, naquele reino, viverão felizes para sempre. Mas lembre-se: se você não ler as histórias, o dragão continuará sendo uma ameaça para os habitantes daquele reino. É você quem decide como essa história irá terminar.



Friday, April 4, 2014

O gigante que gostava de ouvir histórias


Era uma vez um gigante
Que gostava de ouvir histórias.
E os homenzinhos do reino vizinho,
Temendo o gigante, inventavam,
Todos os dias, histórias e mais histórias...
E o gigante se divertia
Com as histórias
Que os homenzinhos
Passavam o dia inventando.
Entretanto, houve um dia
Em que os homenzinhos
Pareciam estar todos
De cabeça vazia.
Nada, nenhuma ideia surgia.
E o gigante esperava, se impacientava,
E o medo dos homenzinhos crescia.
Conduzido pelo temor,
Um dos homenzinhos começou
A contar uma história que todos,
Naquele reino, conheciam:
“Era uma vez um gigante
Que gostava de ouvir histórias.
E os homenzinhos do reino vizinho,
Temendo o gigante, inventavam,
Todos os dias, histórias e mais histórias...
E o gigante se divertia
Com as histórias
Que os homenzinhos
Passavam o dia inventando.
Entretanto, houve um dia
Em que os homenzinhos
Pareciam estar todos
De cabeça vazia.
Nada, nenhuma ideia surgia.
E o gigante esperava, se impacientava,
E o medo dos homenzinhos crescia.
Conduzido pelo temor,
Um dos homenzinhos começou
A contar uma história que todos,
Naquele reino, conheciam:”
Você ainda está aí,
Prestando atenção à história?!
Deseja ouvi-la novamente?!
Você parece aquele gigante
Que gostava de ouvir histórias.
E os homenzinhos do reino vizinho...


Texto & Arte - Sisi Marques
http://doceventuradetecersonhos.blogspot.com.br

Lucia Haddad
Coordenadora


Thursday, March 27, 2014

O Coelhinho Adalberto & Atividades


Diversas atividades podem ser desenvolvidas para a história do Coelhinho Adalberto.

1- Discussão sobre o texto;
2- Compreensão do vocabulário - Use o dicionário;
3- Interpretação do texto;
4-  Releitura da história;
5- Produção de novos textos com o tema da Páscoa;
6- Entender o verdadeiro sentido da Páscoa. Palestra: Mostrar aos alunos uma visão mais ampla sobre essa data.
7- Fazer uma relação entre ovos e coelhos. Coelhos botam ovos?
8- Confeccionar com os alunos ovos de chocolate. Fazer amigo-secreto de bombons e ovos.
9- Pedir aos pais que escrevam mensagens para os seus filhos e as enviem para a escola no dia em que celebrarão a Páscoa.
10- Promover a brincadeira: Caça aos ovinhos. Eles adoram!!!
11- O que os coelhos comem? Realize o Dia da Salada! Use folhas verdes, cenouras e tomates. 
Uma forma de observar os gostos dos alunos.
12- Diversas atividades para a Páscoa. Clique aqui.


Essa é uma data que as crianças curtem muito! Aproveite e realize muitas brincadeiras.

E aproveitamos a oportunidade, para desejar a todos uma...

O Coelhinho Adalberto - Sisi Marques
Arte e Atividades - Lucia Haddad

Thursday, March 20, 2014

O Coelhinho Adalberto



Marina era uma garotinha que gostava muito de seu coelhinho Adalberto. Faltavam dois dias para a Páscoa quando ela teve um sonho: Um coelho enorme apareceu e disse que o Coelho da Páscoa havia solicitado que Adalberto o substituísse. Sem explicar o motivo do pedido, o coelho acrescentou: “Adalberto precisa cumprir a missão especial que sempre é atribuída ao Coelho da Páscoa nesta época do ano: ele terá que transportar uma urna gigantesca até o céu. Não fique me olhando com essa cara de ponto de interrogação!... Leia este bilhete que está tudo aí, muito bem explicado.” Após entregar a Marina uma folha de papel, cuidadosamente dobrada, o coelho desapareceu. O bilhete dizia:
“O meu nome é Eduardo. Sou um duende, secretário do Coelho da Páscoa. Duendes também têm sonhos, e há algo que preciso lhe explicar: Os sonhos, quando começam a germinar, assemelham-se a pequeninos ovos alados. Se os cultivarmos, eles crescem e nos conduzem em seu voo. Se, por outro lado, nos descuidarmos deles, eles nos abandonam. Ciente disso, o Coelho da Páscoa costuma ajudar-nos a preservar os nossos sonhos, acondicionando-os em uma urna que se assemelha a um ovo gigante. Se adquirirmos maturidade para cuidar dos nossos sonhos antes da Páscoa, ele abre cuidadosamente a urna e os reenvia em nossa direção. Se, em vez disso, a Páscoa chegar, e ainda não tivermos assumido o compromisso de fortalecer os nossos sonhos, para evitar que eles morram, o Coelho da Páscoa os leva, dentro da urna, para o céu. Durante a Páscoa, os Anjinhos cantam no céu, e o seu canto produz uma chuva fina e esverdeada, que é conhecida como a Chuva da Esperança. Essa chuva banha os sonhos e os renova, para que eles possam ser devolvidos à urna e reenviados a quem os concebeu.”
O bilhete terminava aí. E, no mesmo instante em que Marina acabou de ler o bilhete, ela acordou e ficou muito triste quando compreendeu que não havia sido apenas um sonho: o seu coelhinho desaparecera. Adalberto certamente partira para cumprir a importante tarefa que o Coelho da Páscoa lhe confiara.
Marina não se enganara. Adalberto aceitou a missão com galhardia. Mas, apesar da coragem e determinação do nobre coelhinho, a urna em forma de ovo era muito pesada, e ele não conseguia levá-la até o céu. Adalberto voava sem ter asas, e houve um momento em que ele pensou: “Se eu não soltar a urna, cairei certamente. Se eu soltar a urna, ela se espatifará no chão. Mas, se eu não soltá-la, terei que dizer adeus a esta vida!...”
E duas ordens opostas começaram a ecoar na mente e no coração de Adalberto: “Solte a urna!... Não, não solte!... Solte a urna!... Não, não solte!... Solte a urna!... Não, não solte!...”
Adalberto fechou os olhos e permaneceu agarrado à urna. Para sua surpresa, ela se tornou leve. Quando ele abriu os olhos novamente, alegrou-se ao avistar os Anjinhos que cantariam para renovar os sonhos. Um deles disse: “Você já pode retornar. Marina está triste e sofre muito com a sua ausência. O Coelho da Páscoa pediu a sua ajuda, porque precisava saber se você estaria pronto para ocupar o lugar dele quando chegasse o momento. É isso mesmo, Adalberto, pode se alegrar, porque você, daqui a alguns anos, será o Coelho da Páscoa.”
Adalberto sorriu satisfeito. Seguindo a orientação do mesmo Anjo, ele fechou os olhos e, quando tornou a abri-los, já era o alvo do olhar carinhoso de Marina, que correu para aconchegá-lo em seus braços.

Sisi Marques
 
Lucia Haddad
Arte
 
 


Friday, March 14, 2014

Mel e Muriqui conversam...

Fiquei pensando nos comentários do Muriqui....
E, você, caro leitor, o que achou?
Quais serão os outros animais que estão correndo o risco de extinção?
Você lutaria contra a destruição dos animais e das nossas florestas?
O que é possível fazer em defesa deles?


Convidei Muriqui para me ajudar nos comentários e ele aceitou!!!!

- Mel, eu e muitos outros animais correm o risco de extinção. Entre eles, o mico-leão-dourado, o caxinguelê, o macaco-prego, a preguiça-de-coleira e muito mais!!! Comentou emocionado.
E ele, repetiu: - Minha maior preocupação é o desaparecimento dos animais que habitam a Mata Atlântica. Se os desmatamentos e a venda ilegal de animais pelo homem continuarem, não sei o que acontecerá. Atualmente, todas as formas de vida na Terra correm perigo, principalmente, aqui na Mata Atlântica.

Fiquei tão triste com tudo isso...
- Vamos lá, caro leitor!!! Vamos criar campanhas em defesa dos animais e das florestas?
Vamos lutar pela preservação do nosso Planeta?
Vamos falar com os governantes do nosso país?
Não podemos ficar de braços cruzados!!!
Junte-se a mim, caro leitor, e a tantos outros amigos da natureza, lute pela sobrevivência da Mata Atlântica, dos animais e do meio ambiente. Dê valor a todas as formas de vida.
Conto com você!

Até a próxima! 
Beijinhoss com sabor de "Mel"

Wednesday, March 5, 2014

Mel e Muriqui


Certo dia, quando estava explorando os arredores de casa, eu passei ao lado de uma grande árvore e olhei para o alto. Nem acreditei no que vi!!!!
Havia um enorme macaco pendurado entre os ramos, alguns metros acima.
Ele também tinha me visto e vinha rapidamente em minha direção, pulando de galho em galho.
Não conseguia nem me mexer. Estava paralisada, dura que nem uma pedra de gelo!
É agora que ele vai me pegar!!!! Fechei os olhos e esperei pelo pior.
E então, vai ficar aí, parada, de olhos fechados?
Fui abrindo os olhos, bem devagarinho e dei de cara com aquele macaco imenso.
Respirei fundo e, um pouco sem graça, perguntei: 
- Qual é o seu nome?
- Muriqui, respondeu.
Achei o nome dele extremamente interessante! Disse-lhe o meu e começamos a conversar.
Muriquei começou a falar a respeito de sua vida na mata e a dos outros animais com os quais convivia. Disse-me, também, que era a maior e a mais corpulenta forma de macaco tropical das Américas.
Fiquei muito impressionada!
Com lágrimas nos olhos, demonstrando muita preocupação, comentou que ele e muitos outros animais correm o risco de extinção.
Se continuarem desmatando a Mata Atlântica e a venda ilegal de animais continuarem, não sei o que acontecerá.
Para que ficasse mais animado, comentei:
- Existem muitas pessoas que gostam dos animais e da natureza, e se esforçam, corajosamente, para mantê-los a salvo de todos os riscos.
Ele sorriu e me deu a impressão de ter gostado do que ouviu.
- Mel, gostaria de ficar aqui mais tempo, mas tenho que achar algumas bananas para os meus filhos.
Até a próxima vez! Com um forte abraço, se despediu.


Fiquei pensando nos comentários do Muriqui....
E, você, caro leitor, o que achou?
Quais serão os outros animais que estão correndo o risco de extinção?
Você lutaria contra a destruição dos animais e das nossas florestas?
O que é possível fazer em defesa deles?

Farei meus comentários na próxima aventura.
Beijinhos com sabor de "Mel" 
Texto e Arte - Lucia Haddad

Wednesday, February 19, 2014

Descobertas da "Mel"


Certo dia, eu e minha dona Vivi, resolvemos dar um passeio pelos arredores da nossa casa.  Enquanto  andávamos  ao longo de um riacho, senti um cheiro diferente, porém agradável. Quando olhamos para o lado, vimos um grande número de insetos voando ao redor de algumas flores: abelhas, vespas, besouros e borboletas. Vivi ficou impressionada e um pouco nervosa! Por ser muito medrosa, saiu correndo em direção à nossa casa, gritando para que eu a seguisse. Fiquei surpresa com a sua atitude e obedeci.
Ao chegarmos em casa, ela foi direto para o computador, pesquisar na "Internet"sobre o que havíamos visto, para tentar descobrir uma explicação para o fato.
Imagine só, caro leitor, o que ela descobriu!!
Muitas flores, na Mata Atlântica, exalam odores para atrair certos animais, principalmente insetos. Em alguns casos, até mesmo aves, como o beija- flor e pequenos morcegos.
Perguntei por que isso acontecia.
Esses animais transportam o grão do pólen de uma flor a outra, para que elas possam se reproduzir e fazer com que outras flores nasçam. Isso se chama _________________, explicou Vivi.

Hum... Vamos pensar?
Responda ao desafio acima.
Que surpresa, hem, leitor!! Você sabia disso?
Você sabe me dizer como são chamados esses bichinhos que transportam o pólen?
E você acha que esse transporte do pólen beneficia a natureza?
Darei as respostas na próxima aventura. Nos encontraremos lá!
Beijinhos com sabor de "Mel"

Texto e Arte - Lucia Haddad

Sunday, February 16, 2014

"Mel" responde...



Vocês lembram das perguntas que fiz na postagem anterior? Irei respondê-las, agora!
Aquele "algo" que mencionei chama-se néctar. 
De acordo com as minhas pesquisas no Wikipédia, néctar é uma substância aquosa secretada pelos vegetais através de glândulas especializadas. Sua constituição química geralmente inclui açúcares em quantidades variáveis de acordo com a espécie. Então, é doce.


Como o beija-flor bate mais de 70 vezes as suas asas, por segundo, ele consegue ficar parado no ar.
Leia, aqui, mais curiosidades sobre o beija-flor.

As russélias podem ter flores pequenas e simples,mas ela forma um verdadeiro banquete para os beija-flores. Suas flores são pequenas de cor palha, amarela,e vermelha; ricas em néctar! São as suas flores preferidas!


Sobre as plantas preferidas do beija-flor, aqui.

Deixo, para vocês, um documentário lindo sobre os beija-flores! Vale a pena assisti-lo!

Volto para contar novas aventuras!
Beijos com sabor de "Mel"
Arte - Lucia Haddad

Monday, February 10, 2014

Contos de Bruxa & Atividades

Contar histórias é um convite à imaginação! 
Por isso, vamos contar mais uma história de bruxa, em forma de poesia.

Professor(a), prepare a sua sala de aula para esse momento.
As crianças adoram histórias assustadoras!
Deixe a sala na penumbra, isso cria curiosidade e expectativa.

Arte - Ketlyn Mayla

AS CRIANÇAS E A BRUXA ROSNILDA

No coração da floresta encantada,
Existia uma bruxa sempre atarefada,
Que vivia a dizer: “Odeio crianças!”
E a bruxa ranzinza, enquanto dava voltas
Em torno de sua vassoura, resmungava:
“Odeio crianças! Elas parecem milho de pipoca:
Logo se aquecem e começam a pular!”
E as crianças, que interrompiam
Os afazeres da bruxa Rosnilda,
Gesticulavam, gritavam e riam
Quando ela começava a se descabelar.
E, para irritá-la, cantavam:
“Odiamos a bruxa Rosnilda,
Que de tudo sempre reclama.
Odiamos a bruxa Rosnilda,
Porque ela não nos deixa brincar.
Somos crianças felizes e,
A vida dela, poderíamos alegrar.”
Enxotando-as com sua vassoura,
Rosnilda enrubescia e dizia:
“Xô, xô, crianças! Afastem-se de mim,
Porque de alegria eu não preciso.
Se não se forem, farei um feitiço
Que as transformará em anões de jardim.”

Quais as diferenças e semelhanças que existem entre a história, Contos de Bruxa e a poesia, As Crianças e a Bruxa Rosnilda?

Professor (a), faça um quadro com as palavras "semelhanças" e "diferenças":
Anote o que os alunos destacarem sobre as histórias.

Promova uma discussão: Será que podemos transformar as histórias em uma só?
Como faremos? Uma produção coletiva para esse momento seria muito interessante.

Faça uma análise sobre o comportamento das bruxas: Como é o comportamento delas? 
Quais as suas qualidades e os seus defeitos? 

Proponha que, em dupla, os alunos escrevam informações importantes sobre as bruxas,
 considerando  os textos lidos.

Incentive, seus alunos, a criarem  uma Galeria de Bruxas,
 usando como inspiração, o desenho da Ketlyn Mayla. 
Depois, faça uma exposição.

Poesia - Sisi Marques 
http://felizardorealidademagica.com.br/     
Atividades e Coordenação 
Lucia Haddad

Thursday, February 6, 2014

Encontro com a sua imaginação


Apresentação sobre a história “Contos de Bruxa”


Eu, Sisi Marques, adoro usar a minha imaginação para criar histórias. E hoje estou aqui para convidá-lo a usar a sua imaginação para reescrever a história “Contos de Bruxa”. Embora a nossa bruxinha com os seus corvinhos seja adorável, apenas por um momento, a tiraremos de cena para substituí-la por uma fada. A nossa história passará a chamar-se “Contos de Fada”, e praticamente tudo na história também terá que mudar: o cenário, os animaizinhos de estimação, as histórias que são contadas para prender a atenção do garoto que não deseja fechar o livro… Uma fada não poderia gargalhar daquele modo, e não poderia ser tão displicente ao se dirigir à criança!…
O que você me diz: aceita ou recusa o desafio?!… Se eu não aceitasse os desafios que a minha imaginação me propõe, essa história “Contos de Bruxa” não teria sido escrita. Eu ouvi as risadas da bruxa; eu a imaginei fazendo suas poções, utilizando um gigantesco caldeirão; eu percebi que ela gostava muito daqueles corvinhos; e também pude notar que, embora ela sempre dissesse para o menino fechar o livro, ela desejava que ele permanecesse ali, ouvindo suas histórias e fazendo-lhe companhia.
Agora é a sua vez de decidir se ouvirá o que a sua imaginação tem a lhe dizer, ou se prefere adiar esse encontro. Obrigada por sua atenção.

Sisi Marques
http://felizardorealidademagica.com.br/
Arte
Lucia Haddad

Monday, January 27, 2014

A Rainha Imagem e o Rei Texto & Atividades

* Caça-Palavras:
 Acesse o link para essa atividade, aqui.
Com as palavras encontradas, incentive seus alunos a criarem poesias.

* Distribua o poema, A Rainha Imagem e O Rei Texto,  para os alunos, sem tecer considerações, apenas oriente-os para que todos leiam silenciosamente. Posteriormente, abra espaço para realização da leitura em voz alta pelos alunos. Depois, faça a leitura de forma expressiva. Após esse momento de leitura, motive seus alunos para que apresentem suas impressões, sentimentos, opiniões sobre o poema: O que acharam do texto? Que verso gostaria de destacar? Por quê? Que sentimentos, ideias o poema faz surgir? Quem gostaria de reler algum verso?

*Estabeleça uma relação entre texto e imagem:
O que é um texto? Que tipo de texto é esse? Poema? Narrativa?
Que tipo de imagem aparece no texto? Ela identifica o texto?
 Proponha, para a situação acima, atividades que possam ser feitas entre dois e três alunos. Lembre-se de que o trabalho em grupo ajuda na aprendizagem.

* Estimule a prática de leitura de poemas;  
 Promova a aproximação do aluno com o texto poético, levando para sala de aula diversos poemas; 

* Através da leitura do texto poético, desenvolve-se a criatividade, a sensibilidade, a imaginação; 

* Faça um Sarau com poesias feitas ou trazidas pelo aluno;
* Crie em sala de aula, o varal da poesia;

* Convide uma poetisa para que faça uma apresentação para os alunos ou eles façam para ela.

Na apresentação, Imagem versus Texto, feita por Sisi Marques, ela propõe uma votação.
Não perca essa oportunidade de realizar essa atividade.
  
"Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
  para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado."
Mario Quintana

A Rainha Imagem e o Rei Texto, Texto versus Imagem e Caça-Palavras
Sisi Marques
http://felizardorealidademagica.com.br/  

Atividades e Coordenação 
Lucia Haddad

Friday, January 24, 2014

Imagem versus Texto



Eu, Caetano Augusto Petrarca dos Anjos, gostaria de mostrar a você uma parte do diálogo entre a Rainha Imagem e o Rei Texto, que a Sisi omitiu para que o poema não ficasse excessivamente longo.
A Rainha Imagem disse: “Segundo o provérbio chinês, ‘Uma imagem vale mais do que mil palavras’.” O Rei Texto respondeu: “Não discordo do provérbio. Contudo, apenas oito palavras foram suficientes para expressar essa verdade. Poderia um quadro transmiti-la com tanta clareza?!…”
Você sabe que, apesar das divergências, a Rainha Imagem e o Rei Texto acabaram se casando. Certo dia, apenas para quebrar a monotonia, eles ordenaram que os súditos participassem de uma votação. Eles teriam que decidir qual dos regentes se comunicava com maior rapidez, exatidão e clareza. Para que o voto fosse considerado legítimo, o eleitor teria que explicitar as razões que motivaram a escolha.
Em quem você teria votado, se morasse naquele reino e tivesse que ter participado da votação? Por favor, não se esqueça de argumentar a favor de seu candidato.
                                                                          Sisi Marques

Wednesday, January 22, 2014

A Rainha Imagem e o Rei Texto


A rainha Imagem era muito bela,
E o seu reino majestoso ficava próximo
De outro reino, governado por um rei
Que ela constantemente desprezava.
A rainha Imagem vivia dizendo:
“Eu me expresso muito melhor do que você.
Meus súditos não têm dificuldade de
Compreender minhas mensagens.
Eles olham para mim, e tudo se esclarece.”
O rei Texto, por sua vez,
Guardando a esperança de que a rainha
Aceitasse o seu pedido de casamento, respondia:
“A sua presença, embora seja bela, nem tudo revela.
Eu tudo registro: a fala, as emoções e o pensamento.
Não vivo só de aparências, embora a aparência,
Na minha face, também esteja impressa.”
E a rainha o ridicularizava:
“Muitos o acham enfadonho…
Eu tenho o dom de me comunicar
Instantaneamente; enquanto você
Rouba o tempo e a paciência
De quem se dispõe a
Compreendê-lo.”
Para convencer a rainha a aceitá-lo,
O rei Texto não economizava palavras:
“Imagem, você é bela, mas pouco revela.
O seu discurso repousa na superfície
E, as mentes, empobrece, porque
Os seus súditos desconhecem
O poder da imaginação.”
E a rainha Imagem exclamava:
“Como ousa dizer que, a imaginação,
Não fortaleço, quando constantemente ofereço
A possibilidade de múltiplas interpretações?!”
E o rei Texto, na esperança de apaziguar
A indignação da Rainha Imagem, dizia:
“Não a estou criticando, porque, em tudo,
Você é perfeita; mas a sua presteza
Não favorece a criatividade
E dispensa o devaneio.”
As discussões eram longas
E pareciam sempre intermináveis
Até o dia em que o rei sabiamente,
Com voz carinhosa e serena, disse:
“Se, um quadro desta nossa discussão,
Nossos súditos vissem, conseguiriam imaginar
Sobre que assunto tanto argumentamos?
Eles apenas nos veriam conversando,
E caberia à imaginação deles
Adivinhar sobre o quê.”
Após uma breve pausa, percebendo que estava
Prendendo a atenção da formosa rainha,
O sóbrio rei Texto aventurou-se a dizer:
“Agora imagine que belo casal formaríamos:
Você, ostentando sua beleza; e eu,
Adicionando clareza a tudo o que
Você desejasse transmitir.”
A rainha Imagem sorriu,
E o seu sorriso convidava
O rei Texto a beijá-la.
Imensamente felizes,
Eles compreenderam
Que se completavam,
E as discussões tolas
Felizmente cessaram.

Sunday, January 19, 2014

Aventais de Histórias & Atividades

Primeiro conte a história "Aventais de Histórias" às crianças, sem utilizar nenhum tipo de material visual;
Deixe que utilizem lápis e canetinhas para que a desenhem;

Depois leia a história utilizando um recurso visual que favoreça a história (o avental de história); 
Peça que a desenhem, novamente, usando outros materiais: recorte e colagem, tinta ,...;   Você  irá perceber o quanto evoluiram, quando um recurso visual é utilizado.

Estimule a imaginação e a criatividade, no momento da criação dos desenhos;
Peça que construam um texto sobre a história e deixe que as leiam, dessa maneira estarão desenvolvendo a oralidade;

Correlacione os personagens da história contada com as figuras do avental; 

Peça que descrevam as características de cada personagem.

Construa outros aventais para estimular a leitura!

 A criança é beneficiada em diversos sentidos, quando a leitura é estimulada.
 Ela aprende melhor, se comunica melhor, desenvolve a criatividade, a imaginação e valores.
Ler deveria ser um hábito!
A leitura nos leva a conhecer outros mundos e ideias!

Aventais de Histórias - Sisi Marques

Coordenação - Lucia Haddad

Friday, January 17, 2014

Curiosidade

           
    (Apresentação realizada sobre a história “Aventais de Histórias”)




Vocês devem estar se perguntando o que a curiosidade tem a ver com o texto. Eu, Caetano Augusto Petrarca dos Anjos, consegui ou não atrair a atenção de vocês?!… Vocês, alguma vez, já fizeram perguntas sobre algo ou alguém que não tivesse lhes despertado o interesse?!… O desinteresse é o pai da inércia. E a curiosidade é a mãe da motivação.
Talvez vocês não concordem com o que eu disse. Mas uma coisa é certa: para discordar da minha teoria, vocês terão que refletir para criar uma teoria mais coerente.
A motivação direciona e impulsiona a ação, e a curiosidade ama o prazer e a criatividade. Se vocês estiverem motivados a discordar, recorrerão ao dicionário para procurar o significado de cada palavra que estou utilizando. Se isso acontecer, eu ficarei felicíssimo, porque esta apresentação terá conduzido vocês à pesquisa.
Vocês só pesquisam sobre assuntos que exercem alguma atração sobre vocês. A necessidade também poderá levar à pesquisa. Mas, neste momento, não estamos falando a respeito do que é necessário e sim sobre o que é prazeroso.
A atração motiva a curiosidade e cativa a atenção. Quando a curiosidade os abraça, vocês se aproximam para olhar. Mas se vocês não se sentirem atraídos, virarão as costas e caminharão em outra direção.
Na história “Aventais de Histórias”, Salete demonstrou ser uma pessoa muito inteligente ao usar sua habilidade e sua criatividade para despertar a curiosidade de seus netos. Nós nos sentimos atraídos por aquilo que admiramos e não pelo que nos causa desprazer.

Sisi Marques - http://felizardorealidademagica.com.br/


(Obs.: Apresentação sobre a história inspirada no 1º Avental de Histórias do Blog “Histórias de Lu & Teca”, realizado por Lucia e Andrea em 2010.)

Wednesday, January 15, 2014

Aventais de Histórias


Salete, mãe de Sofia e Sérgio, orgulhava-se da atenção e do carinho que dispensava aos filhos, e de sua habilidade em confeccionar objetos de decoração. Sofia e Sérgio, embora gostassem muito de ouvir as histórias que sua mãe lhes contava, havia ocasiões em que se recusavam a parar para ouvi-las, porque preferiam brincar com Sapeca e seus quatro filhotinhos.
Além de brincar com os cachorrinhos, Sérgio também adorava visitar seu amigo Zildo. E Sofia, para se distrair na ausência do irmão, entrava em seu quarto e passava momentos agradáveis contemplando as peças de artesanato que sua mãe costumava lhe ofertar. Ela não se cansava de admirar a corujinha pousada no galho de uma árvore, os detalhes da casinha que possuía duas chaves, a mimosa bonequinha e a graciosa girafa.
Depois que Sofia cresceu e se casou, aborrecia-se frequentemente e deixava seus filhos entediados com tantas queixas e lamentações, porque eles gostavam de brincar, e nem sempre estavam dispostos a parar e sentar para ouvir suas histórias.
Salete, que também gostava de encantar os netos com suas histórias, teve uma ideia: ela confeccionou diversos aventais de histórias, que se tornaram indispensáveis nos momentos reservados à leitura. Quando Salete e Sofia colocavam os encantadores aventaizinhos, a vivacidade despertava nos olhos das crianças, e elas se sentiam atraídas pela riqueza de detalhes que as aplicações em feltro exibiam.

             Sisi Marques - http://felizardorealidademagica.com.br/                                         
(Obs.: História inspirada no 1º Avental de Histórias do Blog “Histórias de Lu & Teca”, realizado por Lucia e Andrea em 2010.)

Monday, January 13, 2014

A corujinha que não sabia ler & Atividades

Arte - Ketlyn Mayla

Escolha as atividades de acordo com a faixa etária da sua turma.

1- Caça-Palavras - Clique neste link para acessar a atividade:
http://blogpaixaoporhistorias.com.br/wp-content/uploads/2014/01/Corujinha.jpg

2-Elabore um texto coletivo com as palavras do caça-palavras.

3- Converse sobre o texto. Elabore perguntas criativas!
Esse texto valoriza a autoestima, a persistência, a amizade, o compartilhar.
Converse sobre valores.

4- Realize uma discussão sobre os conhecimentos prévios dos alunos em relação à coruja.
 5- Amplie o conhecimento de seus alunos sobre as corujas:
a) Qual o habitat das corujas?
b) Como elas se alimentam?
c) Peça que levem para a sala de aula fotos de corujas. Observem suas características.
d) Leve um vídeo sobre essa ave.
Sugestão de vídeo: As incríveis corujas pelo mundo a fora!
Acesse o link:
http://youtu.be/wXIENk2zDaA 
e) Use as aulas de Artes para confeccionar uma coruja:

6- Faça uma visita ao habitat da coruja. ( Zoológico)

7- Observe a Corujinha Juju feita pela Ketlyn.
Como seria a sua coruja? Desenhe-a

8- Escreva para a autora da história, Sisi Marques.
Diga o que achou da história da Corujinha que não sabia ler.

9- Excelente história para o início da alfabetização.
a) Crie com seus alunos uma frase de acordo com a história. Essa frase irá gerar o início do processo de alfabetização.
Exemplo: A Corujinha ensina aos bichinhos a ler e a escrever.
b)  Peça aos alunos que escrevam a frase numa tira de cartolina.
c) Recortar as palavras da frase. Esta frase tem 10 palavras.
d) Brincar com a frase, mudando as palavras de posição, para que formem novas frases.
d) Destacar a palavra Corujinha.
e) Separar a palavra Corujinha em sílabas. Ela deverá ser escrita numa cartolina para que possa ser recortada.
f) Tentar formar novas palavras com as sílabas recortadas.
g) Fazer essa atividade com todos as palavras e formando outras com as sílabas encontradas em cada uma delas.
h) Crie listas de palavras encontradas e crie novos textos.
Use as histórias para alfabetizar. Elas enriquecem o vocabulário e a criatividade.

A leitura é imprescindível em sala de aula!
Leia sempre para os seus alunos!

História e Apresentação  - Sisi Marques
http://felizardorealidademagica.com.br/

Molde da corujinha disponibilizado e autorizado por
www.sonhosdemel.com

Coordenação
Lucia Haddad


Thursday, January 9, 2014

Valorize a sua capacidade de realização


Eu, Caetano Augusto Petrarca dos Anjos, hoje não pedirei a você para escrever uma história. Eu vim aqui para lhe mostrar um desenho, e para falar sobre ele. Você consegue adivinhar quem desenhou a coruja que introduziu esta minha apresentação?!... Não!... Você não teria como adivinhar!...
 Aqui estão 5 alternativas que poderão ajudá-lo:

a) Lucia Haddad

b) Eugenia D’Amorim

c) Ketlyn Mayla

d) Sisi Marques

e) Caetano Augusto Petrarca dos Anjos

Se você escolheu a alternativa C, você acertou. Vamos continuar com o jogo de adivinhação?!...
Esse desenho foi originalmente publicado:

a) no “Blog Respirar Histórias”.

b) no Blog “Histórias de Lu & Teca”.

c) no Blog “Paixão por Histórias”.

d) no Blog “Receitas de Mariazinha”.

e) no Blog “Koisinhas Chiques”.

Se você assinalou a letra A, acertou novamente.
Outra pergunta: Qual é a idade da Ketlyn?

a) 9

b) 27

c) 42

d) 15

e) 54

A resposta correta é a letra D: atualmente, a Ketlyn tem 15 anos. Última adivinhação sobre a Ketlyn: Poderíamos afirmar que a Ketlyn:

a) é parente da Sisi Marques.

b) é inimiga da Sisi Marques.

c) não conhece a Sisi Marques.

d) é personagem de ficção.

e) foi aluna da Sisi Marques em 2013.

Se você optou pela letra E, devo admitir que você soube escolher. Apesar disso, a resposta está parcialmente correta: a Ketlyn não foi apenas aluna da Sisi em 2013. Ela se apaixonou pelo Blog
Respirar Histórias e por mim. Certo dia, em uma daquelas intermináveis conversas com a Sisi no facebook, ela disse: “O Caetano será um sucesso!” Além de aluna, ela se tornou amiga da Sisi e
colaboradora do Blog Respirar Histórias. A pedido da Sisi, a Ketlyn desenhou a corujinha; mas, antes disso, por iniciativa própria, a Ketlyn já havia feito outros desenhos, inspirando-se sempre nos
personagens do “Respirar”.


E eu ouso afirmar que, se a Lucia não tivesse providenciado a caricatura da foto do tio da Sisi, a Ketlyn teria retirado, dos arquivos de sua imaginação, um rosto para mim.

Você deve estar se perguntando: O que a Ketlyn e o desenho que ela fez têm a ver com a história da corujinha que não sabia ler?!... A Ketlyn e a Juju acreditam em sua capacidade de realização. Elas pensam e fazem... Não ficam adiando ou menosprezando o seu próprio valor. A autoestima delas é muito elevada. A Ketlyn propôs a si mesma um desafio e conseguiu vencê-lo. Juju, a corujinha que abrigava em seu coração o desejo de ajudar seus amiguinhos, também não mediu esforços para atingir seu objetivo.
Agora sou eu que lhe pergunto: Você se parece com a Ketlyn e a Juju, ou você vive negando a sua capacidade e, consequentemente, adiando a sua realização?!... Lembre-se: quando você expressa o seu potencial, além de sentir-se feliz e valorizado, você ainda beneficia outras pessoas.
                     Sisi Marques - http://felizardorealidademagica.com.br/
                     Arte da Corujinha Juju - Ketlyn Mayla
                      
 

Histórias de Lu & Teca Arte Visual Amanda Layouts www.amandalayouts.com